Título Teoria da consciência e o nada em Sartre
Title Theory of conscious and the nothingness in Sartre
Autor / Colaborador Renato dos Santos Belo
Bolsista Agência FAPESP
Instituição (Sigla) Universidade da São Paulo/ USP
Unidade FAC DE FILOSOFIA, LETRAS E CIENCIAS HUMANAS / FFLCH
Departamento FILOSOFIA / FLF
Orientador Franklin Leopoldo e Silva
Agência Financiadora FAPESP 
Resumo As primeiras obras sartrianas se apóiam e encontram sua novidade numa original concepção de consciência, que, segundo Sartre, teria surgido diretamente da fenomenologia. Do Ensaio sobre a transcendência do Ego até o Esboço de uma teoria das emoções, no entanto, não há propriamente uma teoria da consciência em sentido acabado. É apenas com a publicação de O Ser e o Nada que entrarão em cena os elementos definitivos que sustentarão a consciência sartriana. Surgida diretamente da intencionalidade da consciência, a teoria da negação (elaborada no texto de 1943), juntamente com a concepção de temporalidade, dará, por assim dizer, a compreensão adequada do que Sartre tem em mira ao se < filiar > aos partidários da consciência. Pretende-se, então, analisar a primeira parte de O Ser e o Nada: < O problema do nada >, o alvo principal diz respeito ao papel do nada (néant) como elemento constitutivo da teoria sartriana de consciência.
Área Pesquisa  HUMANAS E HUMANIDADES / Filosofia