Paratrigona subnuda

Jataí da terra ou Mirim sem brilho


Vídeo
Foto da operária
Detalhe da cabeça da operária
Entrada da colmeia
Interior da colmeia

Informações gerais: A jataí da terra é uma espécie muito comum e bem sucedida. Seus ninhos são subterrâneos: usam os ocos construídos pelas formigas saúva cujos ninhos foram destruídos, de modo que muitas vezes um ninho de jataí da terra é encontrado perto de outro. Para localizar o ninho no solo é preciso cavar cuidadosamente seguindo o tubo de entrada; o ninho pode estar desde 40cm da superfície do solo até mais de 1m. Esta é uma espécie muito mansa, de fácil manejo e que vive bem em condições de laboratório.

Entrada da colmeia: Algumas espécies, com a jataí da terra, abrem a porta pela manhã e a fecham ao anoitecer, quando termina o movimento. O tubo de entrada é construído com cerume. Seus ninhos são subterrâneos.

Interior da colmeia: As células de cria são construídas em baterias de até 26 células, nas colônias fortes; os favos têm sempre a forma espiral. Em volta do favo, alguns potes ovóides para alimento (mel e pólen) e um invólucro formado por várias camadas de cerume. Na parte de baixo dos favos, podemos encontrar um depósito de detritos consistente, e muitos machos podem estar perto. O lixo libera calor, e os machos vivem em grupos nos locais quentes dos ninhos. Uma curiosidade: aqui, às vezes encontramos rainhas virgens que se escondem em potes vazios de alimento.

Publicações

1980-CRUZ-LANDIM C, HOFLING MA, IMPERATRIZ-FONSECA VL. Tergal and mandibular glands in queens of Paratrigona subnuda (Moure) Morphology and associated behaviour. Naturalia, Rio Claro, 5.121-133.

1984-MOUGA DMDS. "Coleta de pólen e néctar em Paratrigona subnuda" e "Atividade externa de Paratrigona subnuda". Ciênc. & Cult., v.36,  p.696-697. Suplemento 7.

1992-PIVA LF, KLEINERT AMP. “Divisão de trabalho entre operárias de Paratrigona subnuda (Moure) sob  condições de orfandade". Ciênc. e Cult., v.44,  p. 848, Suplemento 7.